sexta-feira, 7 de março de 2014

quinta-feira, 6 de março de 2014

HDR : Introdução

Esta seção abrange os seguintes tópicos relacionados à High Availability Data Replication:

  • O que é HDR?
  • Vantagens do HDR
  • Disvantagens do HDR

O que é HDR?

High Availability Data Replication (HDR)  é um método para replicar dados a partir de um servidor primário para outro servidor (secundário). HDR replica qualquer banco de dados registrados no servidor primário para um servidor secundário. Enquanto que o servidor secundário é considerado uma duplicação do servidor primário, ele não vai conter dados de bancos que esteja configurado em modo “non-logged”. O banco de dados e esquemas existem, as declarações DML (Data Manipulation Language) são sempre modo “logged”, mas todos os dados inseridos, atualizados, ou excluidos não será replicado a menos que o banco de dados esteja em modo “logged”. O HDR assegura que o servidor secundário é sempre sincronizado com o servidor primario. Se o primario falhar, o servidor secundario pode ser usado como backup até que o servidor primário esteja disponivel novamente.

Vantagens do HDR

  • Alta disponibilidade: se o servidor primário falhar, acesso de gravação pode ser habilitado automaticamente no servidor secundário.
  • (Potencial) alívio Capacidade: Com outra cópia de seus dados disponível, você poderá rodar relatórios no servidor secundario, em vez de executá-los no primário. Isso ajuda a aumentar a taxa de transferência do servidor primário.
  • Replicação síncrona ou assíncrona: Atualização sincrona é quando um buffer de logical log no servidor primário só é concluida após o buffer de logical logs ter sido copiado para o buffer de replicação de dados, enviado através da rede, e uma confirmação é enviada de volta para o servidor primário que o buffer foi recebido. Com a atualização sincrona, você terá certeza de que as transações confirmadas no servidor primario também foi enviada para o servidor secundário. Atualização assíncrona é onde o servidor primario copia os buffers de logical logs para o buffer de replicação de dados, em seguida faz  flush do buffer de logical logs e um envio dos conteúdos do buffer de replicação de dados através de rede quando qualquer dos seguintes eventos ocorrerem:

    - O buffer de replicação de dados tornam-se cheios
    - A aplicação comita uma transação em um banco de dados sem buffer
    - O intervalo de tempo especificado pela configuração do parâmetro DRINTERVAL é atingida.

Disvantagens do HDR

  • Banco de dados em modo de log: somente bancos de dados com o log habilitado será replicado .
  • Escopo do banco de dados: A granularidade do HDR está no nível de banco de dados. Todas tabelas em log serão replicados.
  • Modo síncrono: Com a atualização síncrona pode haver um pequeno atraso na liberação de um buffer de logical logs por causa do tráfego de rede.
  • Modo assíncrono: Com a atualização assíncrona há um potencial para algumas transações confirmadas no primário de não serem replicadas para o secundario após uma falha.
  • Suporte de blobspace: Qualquer armazenamento tipo blob não será replicado.
  • Secundário Read Only: O servidor secundário é um servidor somente de leitura. todas as aplicações que necessitam de acesso de gravação deve utilizar o primário.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Tecnologia da Informação: cpio

Tecnologia da Informação: cpio: faz cópia (salva e restaura) de arquivos através de listas. SINTAXE: cpio –o [a m c B v] cpio –i [c v B d u m] cpio –p [a m d v u] dire...

cpio

faz cópia (salva e restaura) de arquivos através de listas.

SINTAXE:

cpio –o [a m c B v]

cpio –i [c v B d u m]

cpio –p [a m d v u] diretório

DESCRIÇÃO:

-o Lê arquivos de entrada padrão gravando tais arquivos na saída especificada pelo redirecionamento (output)
-i Extrai arquivos de entrada padrão para o diretório corrente (input)
-p Copia arquivos de entrada padrão para um diretório.

 

FLAGS

-m Mantém a data de modificação do arquivo
-a A data do último acesso do arquivo é alterada para a data corrente
-B A entrada/saída é manipulada em blocos de 512 bytes; se omitido este flag, o buffer default é de 512 bytes
-c Grava informações do header da lista de arquivos em formato ASCII, visando a portabilidade para outros sistemas UNIX.
-d Diretórios são criados se necessário
-v Exibe o nome dos arquivos que estão sendo copiados ou restaurados
-t Informa a tabela de conteúdo da lista, mas nenhum arquivo será copiado
-u Copia incondicional; por default um arquivo antigo não substitui um arquivo novo com o mesmo nome. Com esta opção será possivel
device Nome do arquivo especial caracter que representa o device

 

COMENTÁRIOS:

- o cpio só restaura arquivos que foram copiados por ele.

- o cpio é utilizado para fazer cópias através de listas de nomes de arquivos, trabalhando com a entrada e saída.

EXEMPLOS:

Cópias de disco para mídias

# ls | cpio –ocvB > /dev/rmt/0m

# find . –print | cpio –ovB > /dev/st0

# cpio –ocvB <lista> > /dev/rmt/0m

# cat lista |cpio –ovB > /dev/st0

# ls |cpio –ovcB > /dev/rmt/0m

Listar arquivos da mídia

# cpio –itvcB < /dev/rmt/0m

# cpio –itvB < /dev/st0

# cpio –itv < /dev/st0

Restaurar arquivos da mídia

# cpio –ivcB < /dev/rmt/0m

# cpio –iv < /dev/st0

# cpio –iv “arq” < /dev/rmt/0m

# cpio – ivBc < /dev/rmt/0m

# cpio –ivu < /dev/st0

Cópia para diretórios

# find . –print | cpio –pd /home/ajmsolutions/dir